“Mais um ano normal, no mesmo colégio de merda. Sou Denis, tenho 15 anos e curso o 2º grau do ensino médio, sou do estilo pegador, peito e...


“Mais um ano normal, no mesmo colégio de merda. Sou Denis, tenho 15 anos e curso o 2º grau do ensino médio, sou do estilo pegador, peito e bunda são essenciais numa garota. Na minha classe há algumas garotas bem interessantes, quase todas.. na real. Apenas uma garota, sei lá o que tem naquela mina.. se chama Alexia. Tão estranha, desengonçada, não usa roupa colada nem maquiagem. Qualé a dessa mina? Toda jogada desse jeito, mó sinistra. Garota tem que ter estilo bonequinha e corpão bem definido. Ela com esses moletons e calças que são dez vezes maiores que ela.. Mas enfim, eu não entendo por que ando observando tanto essa garota, falando, pensando nela.. deve ser porque gente estranha chama mesmo atenção. Passaram-se algumas semanas de aula e a professora de Português já tá querendo dar trabalho, na boa.. mas pelo menos tem algo de bom, era em dupla e a “fessora” ia fazer as duplas e pá. Eu ainda poderia ir com a mina mais gostosa da sala, a Maria. Ou ao menos eu tinha uma vaga esperança de ir com ela, bater um papo daora e convidá-la pra sair, sei lá.. esse é o tipo de garota que eu adoraria dar uns pega.. “Denis e..” Maria, Maria, Maria “Alexia.” porra velho, por quê caralho essa professora foi me colocar junto com essa guria maluca? Enfim, eu não sou nada bom nessa droga de matéria, a menina pelo menos deve ser.. tem que ser. Olhei pra garota, e ela estava olhando pra mim, confusa, tímida, que caralho essa expressão significava? Peguei minha carteira e fui sentar do lado de Alexia. “E ae” disse sem vontade alguma “Oi” disse ela, tímida, com um meio sorriso.. gostei do sorriso dela e. Ah, que merda é essa de gostar de sorriso? Baitolice aqui não Denis, não mesmo rapá. A professora finalmente passou o assunto do trabalho, era pra escrever um texto, sei lá sobre o que, nem ouvi nada. A guria ouviu, e fez todo o trabalho sozinha, deve ter visto como eu estava “entusiasmado” por estar com ela ou os meus olhares pra gostosa da Maria. “Terminei..” ela disse, quase como um sussurro, “Beleza então, pode ir lá entregar”. Porra, ela não me atraía mas eu também não tinha o direito de ser tão grosso cá mina, ela nem sequer tinha feito algo pra mim. Ela voltou, e não dirigiu o olhar pra mim nenhuma vez.. a professora deu mais uma aula pra terminar o trabalho, porque pelo que parecia, só “nós” tínhamos terminado já.. bom, mais uma aula. O clima não poderia ficar assim, era mó chato. Se eu teria que aguentá-la de qualquer jeito.. “Foi mal” ela voltou o olhar para mim, curiosa, confusa “Pelo quê?” disse, corando um pouco “Pelo jeito que falei contigo antes, sei lá.. não quis ser grosso, foi mal” ela sorriu um pouco “De boa”. E a monotonia voltou, era tenso demais ficar calado “E aí, curte quais bandas.. Alexia, é Alexia né?” ela pensou um pouco “É Alexia sim.. bom, Raimundos, Matanza, Asking Alexandria. Em geral.. curto rock” hm, a mina tinha bom gosto e tál “Raimundos é daora” eu disse, pra não deixar o assunto morrer “E tu? Curte o que?” “Hm, as bandas que tu falo que curte.. curto projota e uns outros ae” ela ficou pensativa “Projota?” o que é, agora a garota nem ouvir direito conseguia? “É.. nunca ouviu?” “Não..” “Deveria ouvir” e finalmente o sinal tocou. Saí meio que voando com minha mochila sala à fora. Chegando em casa, fui pro meu quarto liguei o computador, msn, twitter, tumblr, música. Fui ouvir Matanza, e nesse instante me veio à cabeça o sorriso de Alexia, e eu não entendi, por que tô pensando nessa garota? Nessa desarrumada, desengonçada, estranha? De repente senti uma necessidade de revê-la, também não entendi. Apenas deixei meus pensamentos fluírem, viajarem.. “nela” Alexia. Acabei dormindo, quando acordei já estava atrasado, isso era normal.. mas eu tava preocupado, e se eu não a visse? Droga Denis, e daí se tu não ver a guria? Cheguei na hora de entrar já, fui pro meu lugar e a unica coisa que fiz as cinco aulas foi olhá-la. No final da aula tive que falar com ela “Ei.. Alexia, espera” “Oi?” “Tu tem msn, face, sei lá?” “Hm, tenho..” “Passa ae?” ela passou, eu peguei. Fui pra casa mais rápido do quê o normal, adicionei ela e para minha sorte ela estava on, conversamos muito, quando vi já tava entardecendo. Aos poucos eu e Alexia se tornamos amigos, conversávamos sempre. Mas certo dia fique sabendo de algo que sem motivo algum não me agradou “Tá bem Ale?” “Não.. não muito, e você?” “Tô.. por que você não?” “Bom.. acho que tu já deve ter percebido, sou afim dum cara da nossa classe” não, eu não havia percebido, aquilo me ferveu “Não.. mas o que isso tem a ver?” “A gente tava ficando e.. enquanto ele não sabia que eu era fim, tava de boa, mas hoje eu contei pra ele e de agora ele veio me dizer que é melhor a gente não ficar mais porque ele não quer me iludir..” Droga, ela tava afim de alguém, ela tava ficando com alguém, e eu não sabia de nada. Eu estava me iludindo, pensando nela, caralho que idiota que eu sou. “Hm, tenso isso Alexia, tchau.” E foi isso, eu não aguentaria falar com ela sem ser grosso, não agora.. Pela manhã, não fui ao encontro dela, como era o normal, fui falar com Maria, que por acaso, Alexia odiava ferozmente. “E ai gata” “Oi Denis.. e aí, parou de andar com a estranha?” Não respondi “Tô afim de.. falar contigo, final da aula. Que tu acha?” “Já é”. Perfeito, final da aula, Alexia teria que ver. Mas que criancice era essa que eu tava fazendo? A guria era minha amiga, não tava nem aí se eu ficasse com alguém, e ela tava sofrendo por causa do moleque lá.. Seria egoísmo meu fazer isso por ciumes e nem ligar pro sofrimento da minha “amiga”? Sei lá que droga era isso, mas eu precisava fazê-lo. Fiquei todas as aulas sem falar com Alexia, sem olhar.. Sempre no final da aula ela me esperava e íamos juntos pra casa e pá. Mas hoje seria diferente.. quando Alexia se aproximava, puxei Maria e beijei-a, Ale saiu correndo quando viu. Seria raiva? Sentiu como se eu tivesse traído sua amizade ficando com a garota que ela mais odiava? Ou ciumes? Sim, teria de ser ciumes.. tinha de ser, tinha. Quando cheguei em casa e entrei no msn apenas vi uma mensagem offline, era de Alexia, meu coração disparou “Obrigada por fazer isso idiota, valeu mesmo por me magoar desse jeito.” E de repente me senti culpado demais, eu havia magoado minha menina? Poderia ser ciumes, poderia ser o caralho que fosse mas eu à havia magoado? Senti a necessidade de esclarecer tudo, liguei pra ela. Tempo perdido. Tive que ir até sua casa, tentei explicar.. mas antes tive que ouvir todo seu desabafo. Pedi, implorei desculpas. Ela poderia não me amar do jeito que eu à amava porém era minha menina, ela amava outro, ele havia à magoado e eu não à protegi, nem consolei. Como ela poderia pensar algum dia em me amar? Ela perdoou-me, e mesmo que ela ainda não me ame, não da forma certa.. pelo menos certa pra mim, sinto que devo continuar à protegê-la, porque afinal.. amigos são pra isso.”
— A Garota Estranha 

You Might Also Like

0 recadinhos

Solta o verbo meu jovem.

Flickr Images